Sistemas combinados de calor e energia usando energia renovável

Nos Estados Unidos, 360 locais usam atualmente microturbinas para CHP, respondendo por mais de 8% do número total de locais CHP e 92 MW de capacidade agregada. Os sistemas de CHP pequeno com Aquecimento Distrital (DH) também existem principalmente entre edifícios de propriedade do Estado, como hospitais, militares, universidades e escritórios.

Para aquecimento urbano comercial ou grande, a conexão de muitos clientes com demandas variadas de calor a uma planta central para funcionar continuamente, em vez de muitas plantas individuais operando esporadicamente, faz sentido do ponto de vista econômico. Além disso, a biomassa e a incineração de resíduos CHP são mais viáveis ​​em grande escala.

A economia e a eficiência de um CHP para aquecimento urbano depende da localização geográfica, uma vez que os custos da Rede Distrital constituem uma grande parte do investimento de capital, mas as redes DH bem mantidas devem durar cerca de 100 anos.

A viabilidade comercial tem tudo a ver com a densidade da rede

A proximidade desempenha um grande papel no sucesso. Em Helsinque, Finlândia, a CHP com aquecimento distrital fornece cerca de 95% da demanda total de calor, cobrindo cerca de 1.230 km de redes de aquecimento subterrâneas e mais de 10.000 edifícios conectados, atendendo a mais de 600.000 residentes.

As redes de aquecimento exigem capital intensivo e podem ser afetadas pelo acesso a estradas e terras públicas. Uma regra básica para a viabilidade comercial da CHP é que a densidade de calor / carga deve ser superior a dois MWh por metro de comprimento de rede planejado. Em subúrbios de baixa densidade de calor, por exemplo, os custos de investimento da rede são difíceis de superar.

See also  TED Gen: A revolução combinada de calor e energia

CHP como um ingrediente poderoso para a transformação da energia urbana

Para uma transição do setor de aquecimento e resfriamento mais sustentável e renovável, o CHP, com um sistema de aquecimento urbano alimentado por energia renovável, oferece um caminho econômico para a transformação. Um plano de energia integrado de longo prazo para aquecimento e resfriamento é necessário para coordenar a implantação de soluções baseadas em energias renováveis ​​com medidas para aumentar a eficiência energética e desenvolver a infraestrutura necessária, evitando simultaneamente conflitos entre vias e encalhe de ativos.

Na Finlândia, cerca de 75% da produção de calor distrital é baseada na geração CHP, e 33% da eletricidade é obtida na geração CHP, classificando a Finlândia como o país com a maior participação de mercado de eletricidade CHP no mundo, com uma rede de aquecimento distrital de cerca de 15.000 km.

Cidades, vilas e regiões devem se concentrar no planejamento intersetorial para integrar a transição do aquecimento e refrigeração dentro dos planos setoriais, notadamente energia e indústria. O plano de energia local para aquecimento e refrigeração deve ser baseado em necessidades específicas; condições macroeconômicas; disponibilidade de recursos; a infraestrutura já instalada; e o nível de desenvolvimento, acessibilidade e custo das tecnologias.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Post